040911

GARGALHADAS QUE NOS CUSTAM CARO

O Blog Previplano1 estampou, na semana passada, dois posts assinados por Marcos Cordeiro e Edison de Bem, detonando o já celebérrimo Sasseron, eleito agora inimigo público número 1 dos aposentados e pensionistas da PREVI.

Realmente, são textos de alta contundência, no conhecido estilo demolidor daqueles dois escribas. Daqui a pouco, poderão surgir as velhas moções de agravo ou os incompreensíveis pedidos de expulsão, sabe-se lá de onde. E parece que o atingido, supostamente pessoa inteligente, não consegue compreender aquela argumentação filosófica de que é a tese que induz o nascimento da antítese. Vale dizer, são os próprios sasserons da vida que atraem para si toda essa indignação que move os desassistidos da PREVI.

Daí, embora lamentemos que isso tenha de acontecer entre nós, por mais pacificadores e defensores da isenção plena que sejamos é impossível deixar de reconhecer o merecimento do Diretor de Inseguridade da PREVI às chicotadas em questão.

Falo de isenção, em face de que, antes de qualquer indignação, devemos sempre procurar pelas razões que possam existir do lado de lá – do Governo, do Patrocinador, da PREVI, da PREVIC, dos sindicalistas, dos nereus, dos sasserons.

Evidentemente, não temos como absolutizar nossa própria imparcialidade, uma vez que também nos encontramos listados entre os aposentados da PREVI. Contudo, afirmo que muito me esforço para tanto, seja porque movido por um inarredável compromisso com o sentimento de justiça que me anima, seja porque aprendi a admirar e defender o Banco e a PREVI, em meus longos anos a serviço do primeiro. Se um dos primeiros princípios da ciência do direito é o estabelecimento do contraditório, a fim de se conhecerem as razões das partes em litígio, assim também devemos proceder em todas as questões de nossa vida, para minimizar a possibilidade de cometermos injustiças em nossos juízos pessoais.

Por tudo isso, busquemos sempre proceder dessa forma, evitando, até onde nos seja possível, enveredar logo pelo caminho perigoso das emoções, diante de algo que nos atinja direta ou indiretamente. É claro que alguém tem de segurar o chicote. No caso de nossos batedores, é certo que se trata de pessoas muito bem informadas, para fazê-lo com a segurança e a eficácia que demonstram.

E é verdade, amigos, que praticamente em todas essas questões levantadas, não vemos como creditar validade aos argumentos das instituições e de seus dirigentes envolvidos neste embroglio, posto que quase nunca surge alguma explicação convincente daquelas partes. Quando arriscam alguma observação, aparecem aquelas argumentações canhestras, como a da PREVIC, tentando nos convencer de que a Resolução 026 veio para suprir uma figura de direito conhecida como vácuo jurídico. Na verdade, naquele assunto, estávamos claramente diante de um sofisma de alta classe, isto é, um argumento falso para induzir alguém em erro, produzido, no caso, por advogados sofisticados, profundos conhecedores das minúsculas brechas permitidas por nossas leis por onde fazer penetrar afirmações duvidosas competentemente mascaradas de verdade.

Senhor Sasseron, vale a pena faturar um salário tão gordo para passar por uma vergonha dessas e continuar gargalhando por aí, sem mover uma única palha por aqueles cujos direitos deveria, se não defender, pelo menos respeitar? A pecha de pau mandado, cruel e insensível, já está gravada em sua testa. Falta apenas não fazer nada pelo aumento dos valores e dos prazos do ES, 150/150 (nada menos que isso), para que possa ostentá-la orgulhosamente para sempre, se isso tanto lhe apraz.

Cordeiro e Bem, acredito na mansidão e no senso de justiça que de seus nomes emanam e imagino que, no fundo de suas almas, bem atrás da revolta que os move, devem até sofrer ao se sentirem obrigados a bater tão forte em um ser humano, ainda quando o próprio opte livremente pela absurda condição de hiena. É sim muito difícil assistir passivamente a essa devastação que arrebenta com os já combalidos alicerces morais de nossas instituições e seus representantes. De que outra forma vocês poderiam enfrentar os dentes afiados de quem acha graça em exibi-los para debochar da desgraça daqueles que representam?

Por isso, caros amigos, ninguém pode atacá-los. Vocês batem forte em defesa dos fracos, dos espoliados, dos mal representados. Haveríamos que suportar o pesado estigma da covardia, se não nos solidarizássemos com suas palavras fulminantes.

E a você, Sasseron, podemos lhe dizer que, pelo visto, à fonte em que se bebem as águas límpidas do verdadeiro altruísmo você não tem como chegar. E nas academias materialistas em que você aprendeu, não se ensina a ler a proximidade do fim, nas fissuras das construções momentaneamente sólidas, mas que começam a se desmanchar quando conduzidas por homens que não enxergam nada além do próprio umbigo? O festival de contradições com que você e seus pares tecem suas obras já anuncia que isso não vai longe. Não demora muito e seus desassistidos encontrarão o calcanhar desse Aquiles cego, surdo, mudo e gargalhante que você ajuda a nutrir tanto a sua volta como dentro de si mesmo.

A ideia geral crescente é que vocês trabalham apenas para si mesmos. São vocês próprios que constroem essas imagens negativas que seus nomes evocam. E, por esse caminho, não tarda a soar a hora final…

O Blog é pouco comentado, porém bastante lido. O último post, O BANIMENTO DA AAPPREVI (220811), teve apenas 5 comentários, mas foi visitado 624 vezes. Isso mostra que as ideias aqui registradas estão circulando. O movimento cresce. Cresce o PREVI PLANO 1, cresce o PREVIPB1EMFOCO, cresce a AAPPREVI e cresce a UNAP-BB, cresce a TV CORUJA e crescem todos que aderem à INSURREIÇÃO DOS CABEÇAS BRANCAS.

Paulo Motta.

  1. #1 por Jaime Feix em setembro 4, 2011 - 8:38 pm

    Concordo, plenamente.

  2. #2 por renato campos baptista em setembro 5, 2011 - 11:13 am

    Fantástica a sua matéria, Paulo. Digna de emoldurá-la na galeria que abriga contundentes artigos
    análogos, assinados por Marcos Cordeiro e Edison de Bem, entre outros. Hoje,o texto que enri –
    quece o seu blog diz respeito ao Sasseron, ele mesmo, representante eleito por nós para defen-
    der nossos interesses junto à Previ. E o que fêz ou o que faz ele? M…, só o que faz . Nenhum
    pronunciamento para justificar abertamente sua posição, principalmente quando aventa a tese de
    que há um enorme endividamento de nossa parte, daí ser contrário ao aumento do ES. A forma
    como age denota sua insensibilidade aos nossos reclamos. Acaso existe alguma inadimplência
    junto à Previ? A margem consignável foi estabelecida para quê? Sasseron não parece familiari-
    zado com os mecanismos de controle da Previ. Por isso, e outras coisas mais, é que ele merece
    os “elogios” dos 03 (três) mosqueteiros. Se tivesse vergonha na cara e fosse homem de boa têm-
    pera, forjado nos quadros do Banco, não estaria a prejudicar tantos quantos desse empréstimo
    necessitam. Afinal , DINHEIRO não é o seu problema, não é mesmo Sasseron?
    Parabens, Paulo, continue a nos brindar com artigos dessa relevância, com a excelência do seu
    estilo.

    Abraços, Renato.

  3. #3 por Marcos Cordeiro de Andrade em setembro 5, 2011 - 11:35 am

    Caríssimo Paulo Motta,

    Peço-lhe, caro amigo, que tome o baixo índice de comentários em seus posts como uma confirmação da plenitude dos textos. Por vezes me preparo, como agora, para registrar participação. Mas, a título de quê? Somente para concordar com tudo que você diz? Seria redundância desnecessária, pois, de elogios o amigo não carece. E de críticas muito menos.
    Para mim, me basta ler e assimilar. E propagar.
    Nada mais justo, então, que me abster de tecer comentários.
    Não se comenta o óbvio. Nem se diminui o que está solidamente firmado em sua grandeza.
    Digo-lhe apenas PARABÉNS, e MUITO OBRIGADO.

    Abraços,

    Marcos Cordeiro de Andrade

  4. #4 por superavitsprevi em setembro 5, 2011 - 4:20 pm

    Mestre Marcos,

    Entendi. Registrei a observação de baixo índice de comentários apenas para esclarecer que as idéias circulam entre um número bem maior de desassistidos. E o importante é isso. Com o Previplano 1 na liderança, vamos crescendo.

    Abraços fraternos,

    Paulo Motta.

  5. #5 por superavitsprevi em setembro 5, 2011 - 4:31 pm

    Jaime,

    Ótimo! Com duas palavras suas, pude saber tudo que você pensa sobre nossos falsos colegas e representantes. Sonho com o dia em que seremos dezenas de milhares cultivando os mesmos pensamentos e formando um imenso coro de indignação que ainda acabará abalando esse império de liquidação de aposentados e pensionistas em que estão transformando nossa PREVI.

    Paulo Motta.

  6. #6 por superavitsprevi em setembro 5, 2011 - 4:42 pm

    Renato,

    Palavras como as suas muito me ajudam a seguir em frente. Estamos juntos, nessa amizade virtual que os tempos modernos nos permitem, sempre descobrindo que existe uma quantidade imensa de verdadeiros funcionários do BANCO DO BRASIL, que não chegamos a conhecer no serviço ativo, mas agora aparecem aos montes, inundando tudo com a grandeza de sua solidariedade e de seu altruísmo, sufocando as poucas hienas renitentes que não gargalharão por muito tempo…

    Paulo Motta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: